Newsletter
Receber newsletters
Camel Trophy Portugal
por email

Wallpapers



Manuel Marques Pinto - Zaire (1983)

Votos de utilizador:  / 1
FracoBom 
A estreia de Portugal no Camel Trophy deu-se em 1983, na edição do Zaire. Juntamente com Pedro Vilas-Boas, Manuel Marques Pinto defendeu a bandeira nacional em todas as situações, incluindo quando o veículo onde seguiam se despistou e o obrigou a conduzir alguns dias com um tornozelo ligado e com dores.
Este é o seu testemunho, de uma participação numa aventura que não se esquece:

Manuel Marques Pinto e Pedro Vilas-Boas - Camel Trophy Zaire 1983"O meu contacto com o Camel Trophy foi por mero acaso, ao comprar tabaco numa tabacaria de Campo de Ourique que tinha, no balcão, um prospecto de anúncio e convite à inscrição numa prova a realizar em 1983.

O amigo com quem tinha almoçado - o jornalista desportivo, ligado ao automobilismo há longa data, Augusto Vilela - entusiasmou-me dizendo que com a experiência de várias comissões em África e por fazer Todo-o-Terreno na caça, seria interessante concorrer. Creio que ele próprio tirou o prospecto e mo entregou, para preencher e enviar.

Enviei, e passadas umas semanas recebo um telefonema perguntando pela minha disponibilidade para dentro de alguns dias me deslocar às Canárias, onde se realizaria uma prova de selecção.

Confesso que a minha primeira impressão foi de que algum amigo estaria a brincar e, após a primeira surpresa, pedi à pessoa que se identificasse e me desse o seu número de telefone.

Confirmei que tudo era verdade e lá fui a uma reunião que, segundo creio, decorreu no Correio da Manhã para acertarem os pormenores e conhecer os outros sete seleccionados.

Na Gran Canária encontrámos os oito selecionados de Espanha numa prova realizada numa pista de provas onde o único obstáculo que achei dificil - dado o tempo de percurso ser primordial - foi uma descida íngreme a acabar em curva e ter de sair "alinhado" para uma travessia de ponte de duas traves sem guias.

Foram seleccionados quatro Portugueses e quatro Espanhóis. Fomos mais tarde fazer a segunda prova em Inglaterra, no campo de treino da Land Rover perto de Birmingham, e que serviria de ordenação final para efectivos e suplentes.

Mantive sempre o resultado tão confidencial quanto possível, para evitar as piadas de amigos, até que o Correio da Manhã começou a falar no assunto, promoveu um beberete de apresentação e aí lá tive de aturar as piadas dos amigos e as preocupações da famíla, principalmente por o Zaire (na altura) já não ser um território sem problemas de segurança.

Sobre a prova em si, cujo trajecto e percalços são mais ou menos conhecidos, como o incêndio de uma viatura de jornalistas, mantenho apenas na memória a dor que foi suportar guiar durante 2 ou 3 dias com o tornozelo esquerdo ligado, devido a uma queda numa noite de chuva tropical e terreno completamente enlameado. Graças às bisnagas de pomada que o médico me deu, e que eu ia aplicando sempre que podia, consegui acabar a prova fazendo os turnos que me competiam.

Lembro-me que fomos acompanhados no Zaire por um chefe de redacção do Correio da Manhã, e que esse jornal publicou quase todos os dias da prova uns artigos com fotos. Esse chefe de redacção do Correio da Manhã foi evacuado, ainda durante a prova, por motivos de saúde.

Como apreciação da prova, globalmente continuo a pensar que é extremamente difícil reunir num grupo tão heteregéneo um conjunto de homens que criaram uma empatia e solidariedade que se manifestou sempre, desde os pequenos pormenores às decisões tomadas durante a prova e até aquando da capotagem da nossa viatura.

Creio que as experiências vividas por outros participantes, e noutras provas, possam e devam ser diferentes. Contudo, em relação à expectativa que tinha ao iniciar, posso afirmar que a grande maioria deve ter acabado sem se sentir minimamente defraudado, e até com um sentimento de a realidade ter suplantado a expectativa inicial.

Termino, lamentando que não se possa realizar um Camel Trophy para Veteranos, pois com os meus actuais quase 67 anos ainda era capaz de me inscrever."

Partilhe este artigo: